Carregamento...

AS POEIRAS E OS SEUS EFEITOS

A principal missão da RAM® Environnement é lutar contra as emanações de poeira que podem por vezes ser perigosas. Mas, para responder de forma eficaz a problemática da formação de poeiras, é necessário possuir um perfeito conhecimento dos diferentes tipos de poeiras, das suas particularidades, dos seus efeitos sobre o Ser Humano.
OS DIFERENTES TIPOS DE POEIRAS

No sector das minas e pedreiras, as poeiras podem ser de origens diferentes: derivadas de rochas aluviais, rochas eruptivas, rochas metamórficas, rochas calcárias, rochas de basaltos. As poeiras podem também ser derivadas dos minérios de ferro, do manganês, da bauxita, do carvão, dos fosfatos ...

Estas poeiras podem ser classificadas em diferentes categorias: esporádicas ou evasivas, semi-permanentes ou permanentes.

esporádicas ou evasivas:tratam-se de emissões causadas pela utilização de explosivos nas minas, pelos descarregamento dos basculantes e as dispersões ao ar livre de elementos finos derivados dos armazenamentos.

semi-permanente : tratam-se essencialmente de emissões produzidas durante a perfuração e o deslocamento de veículos nas estradas, nas pistas e nos caminhos.

permanente : tratam-se de todas as emissões produzidas por instalações de moagem, trituração, manutenção e crivação.

No sector agroalimentar, as poeiras são derivadas de produtos como o trigo, a cevada, o milho, a ervilha, a mandioca ou o açúcar ...

As operações de manipulação e de armazenamento provocam a formação de uma espessa nuvem de poeira em áreas muitas vezes confinadas.

Estas poeiras são altamente inflamáveis e, por conseguinte, perigosas.

  • A tendência natural das poeiras em libertar-se e colocar-se em suspensão será directamente relacionada com:
  • O tipo de material (a poeira sendo uma das componentes mais finas deste material, seja ele minério ou mineral),
  • O conteúdo em humidade que sera mais ou menos importante do que o material, seja ele naturalmente hidrofóbico ou hidrofílico,
  • A forma podendo favorecer a dispersão e/ou diminuir a velocidade de sedimentação.

Esta tabela mostra graficamente vários elementos muito importantes relativos à definição das poeiras:

effet01

Analogia : inferior a 1 mícron, as partículas são comparáveis às emanações e aos fumos.

Aparência : ultra-microscópica ou microscópica para as partículas inferiores a 10 mícrons, somente as poeiras superiores a 10 mícrons são visíveis a olho nu.

Sedimentação : A velocidade da queda permite situar o risco de poluição ambiental em função do tamanho das partículas consideradas.

OS EFEITOS EóLICOS

Os efeitos produzidos pela acção dos ventos são muito importantes porque são a causa significativa das dispersões das partículas e/ou o seu transporte nas proximidades das instalações.

effet02

Neste gráfico, consideramos a suspensão de uma partícula mineral desde uma altura de 15 metros, altura média de um armazenamento convencional, com ventos laminários de 10 e 30 km/h e nota-se que, segundo a sua própria velocidade de sedimentação, uma poeira de 100 mícrons tocará o solo a 150 metros do seu ponto de dispersão com um vento de 10 km/h, e a 400 metros com um vento de 30 km/h.